Saúde Comentários (0) |

Videogame faz bem para a saúde mental do homem, veja o porquê

Não que um cara precise de argumentos para jogar videogame. A pura diversão de um jogo já é mais do que o suficiente. Porém fica ainda melhor quando a gente descobre que o jogo faz bem para a nossa saúde mental.

Se você quer entender um pouco mais sobre a relação entre os videogames e a sanidade psicológica, cola aí com a gente.

Contra a solidão

Ainda em 2014, o cirurgião Vivek H. Murthy sugeriu em um dos maiores congressos de medicina do mundo que a solidão é um problema de saúde pública, explicando que causa mais riscos que o cigarro e que a obesidade.

Pode ser uma posição controversa, mas existe bastante razão nesse discurso. É bem sabido que a solidão causa distúrbios não apenas de ordem psicológica (exemplos: depressão e fobia social) como também físicos. Riscos de doenças cardiovasculares, infartos e suicídio estão diretamente ligadas à solidão. Mas onde que o videogame entra nisso?

Forma de combater o isolamento

Bom, segundo um estudo da Universidade Massachusetts Lowell, algo em torno de 25% dos adultos jogaram ou assistiram algum game online. Segundo metade dos participantes da pesquisa, “amizade” era um dos principais fatores para acessar o conteúdo, fosse por se conectar com os amigos ou fazer novos contatos.

Ou seja, uma boa parcela das pessoas usa ativamente, mesmo que de forma inconsciente, o videogame como uma forma de socializar e, portanto, combater a solidão.

Entrando em contato com os amigos

Se você já jogou online alguma vez com seus amigos, sabe que o papo vai muito além do que está rolando na tela. Estima-se que em, pelo menos, 25% de uma sessão de jogo o assunto seja a vida dos participantes.

Afinal, nada mais normal em uma interação social do que se atualizar sobre a vida, os amigos, a família, os relacionamentos e tudo mais dos seus amigos. Além disso, há um belo incentivo para se conectar, que é a própria diversão do jogo.

Criando um laço

Bom, sempre tem aqueles amigos que se reúnem para uma pescaria, um churrasco ou uma partida de futebol, certo? O videogame funciona de maneira similar, nesse caso como uma maneira de criar laços com amigos em torno de uma atividade em comum e afastando a sensação de solidão. Isso fazendo com que os riscos de depressão, de distúrbios e de doenças do coração diminuam.

O outro lado da moeda

Por outro lado, o equilíbrio é importante. A OMS identificou a “gaming disorder” (transtorno do jogo) como um distúrbio na Classificação Internacional de Doenças de 2018. Ou seja, quem deixa o game ir além da conta e faz atrapalhar o seu dia a dia pode se deparar com algo que já não faz tão bem assim, pelo contrário até. Ou seja, o negócio é encontrar o meio-termo e aproveitar só o que há de melhor no videogame.

Curte bater aquele videogame com os amigos de vez em quando? Então mostre esse artigo para um parça (ou para uma eventual patroa que esteja reclamando). Aproveite para continuar aqui no Hora do Homem e saber mais sobre saúde masculina, sexo e muito mais.

Confira também

Ver mais

Relacionamento Comentários (0) |

Mulher Santinha x Safada: qual tipo você gosta mais?

Mulher é bom demais e todo cara sabe muito bem disso. Se não fosse assim, a gente não corria tanto atrás. Mas o fato é que, por diversos fatores, cada homem tem o seu tipo de mulher favorita. Entre esses estilos, existe um embate que perdura décadas o da Mulher Santinha x Mulher Safada.

Claro, quase toda mulher tem um pouquinho dos dois lados. Mas estamos falando em linhas gerais mesmo, a boazinha ou a bandida são estereótipos que causam a maior atração na galera. Diante desse dilema, se for pra escolher entre as duas, quem você prefere?

Pra te ajudar, vamos falar mais sobre esses dois tipos de gatas. Confere com a gente.

Mulher Santinha

Bora começar pelas Santinhas. No geral, esse tipo de gata faz a pegada mais tímida. Recatada, puritana e boazinha, a Santinha te apaixona de um jeito que te faz querer conquistá-la. Só dizer isso, aposto que uma gata assim já veio logo à sua cabeça.

Boazinha que só, a Santinha tem a vantagem de ser extremamente apaixonante sem forçar a barra. As moças desse tipo te envolvem de uma maneira diferenciada e, fiéis que são, acabam não dando dor de cabeça quando estão ao seu lado.

A grande desvantagem da Santinha está no jogo duro. Seja lá por quais motivos, não é fácil conseguir tomar o coração duma gata assim. E, quando rola, conseguir alguma coisa mais apimentada com ela também não é a tarefa mais fácil do mundo.

Alguns exemplos de Mulher Santinha clássicos que a gente vê por aí são: Marina Ruy Barbosa, Isabelle Drummond, Sandy, Carol Celico, Sarah Poncio, Taylor Swift, Selena Gomez, Natalie Portman e Ciara.

Mulher Safada

Agora vamos para as Safadas, o que caracteriza esse estereótipo de mulher? Essas são as gatas liberadas que fazem o que vem na cabeça. Fogosas, extrovertidas e quentes, muitos veem essas danadas como estilo Mulher Bandida. Toda essa sensualidade exerce uma atração imediata.

O bom da Safada é que não tem tempo ruim e nem encheção de linguiça, elas são diretas ao ponto e sempre mostram o que querem. Com personalidade forte, as gostosas desse estilo não têm medo de falar o que pensam nem de curtirem o momento.

Por outro lado, também existem desvantagens na sua bandida. Por um lado, nem sempre todo cara dá conta desse fogo todo e, por outro, elas podem causar conflitos fortes sem nem perceber.

Alguns exemplos de Mulher no estilo Safada, com personalidade forte e fogosa, que existem no mundo dos famosos são: Paolla Oliveira, Anitta, Juliana Bonde, Luisa Sonza, Cleo, Rihanna, Scarlett Johansson, Nicki Minaj e Kim Kardashian.

Já escolheu entre Santinha e Safada?

Sabendo o que tem de bom nas boazinhas e nas bandidas, fica até meio difícil de decidir. Mas tenho certeza que, ao saber tudo sobre as gatas, sua escolha tá feita. 

Sendo assim, chega mais nos comentários e conta pra gente qual é a sua preferência. Aproveita também pra ver um monte conteúdo sacana aqui na Hora do Homem sobre mulheres, relacionamento e sexo.

Leia mais

Ver mais

Destaques, Sexo Comentários (0) |

Fetiche na tecnologia: Robôs e bonecas realistas para sexo

Até pouco tempo atrás, parecia coisa de ficção científica. Mesmo hoje, não é todo mundo que está sabendo até que ponto a tecnologia chegou. Mas já estamos naquela fase do mundo em que as bonecas realistas se transformaram em praticamente robôs do sexo.

Com o avanço da inteligência artificial e as proporções anatômicas praticamente perfeitas, elas estão aí e são uma realidade bastante acessível. Então, se você também tem esse fetiche na tecnologia e quer entender como funciona, vem saber mais sobre os robôs e as bonecas realistas para o sexo.

As bonecas reais

Conhecidas como RealDoll, essa é a principal linha de bonecas sexuais realistas que existe no mundo. Desenhadas sob medida conforme o gosto do freguês, elas são feitas para recriar com precisão a aparência, a textura e o peso de um corpo humano. Claro, com toda essa proximidade, a maioria da procura é para que elas sirvam como parceiras sexuais.

Meio por acaso

O principal responsável pela Abyss e pela RealDoll, Matt McMullen, conta como foi que começou a desenvolver esse ramo do futuro do sexo. Sua ideia inicial era fazer manequins realistas imaginando que o mundo da moda que iria se interessar. Só que os pedidos foram um pouco diferentes.

“Comecei a receber contato de gente que me perguntava se os manequins eram anatomicamente corretos. Decidi que essa era a direção do negócio. Larguei meu emprego e montei minha empresa”, explica. Meio por acaso, as real dolls começaram a ser criadas e mudar o mundo.

Inteligência artificial

Mas além de proporções corretas e texturas realistas, o novo passo da RealDoll é ainda mais cheio de pretensões. A Abyss está indo além com uma nova boneca chamada Harmony.

Ela é a primeira do tipo a ser equipada com uma inteligência artificial, o que dá um certo grau de autonomia ao tecnológico sex toy. Conectada a um iPad, ela pode ter uma personalidade programada e consegue, até mesmo, mexer sobrancelhas, boca, olhos e cabeças.

Como funciona 

A grande novidade está no cérebro artificial da Harmony, que foi a público ainda em 2016, é a possibilidade de programação inteligente. Totalmente customizável, é possível definir não só as características físicas, como já é de praxe para as RealDoll, como também coisas muito além.

Você pode escolher a personalidade da Harmony e, até mesmo, a voz. Ela pode ser tímida, extrovertida, sensual, ciumenta ou tagarela, conforme a sua preferência.

A inteligência artificial da boneca permite coisas incríveis, como ter orgasmos e lembrar a sua data de aniversário. Pois é, chega a ser quase inacreditável.

O futuro está aí

Inclusive, já existem atualizações para essa robô do sexo que já surgiu tão cheia de habilidades. Atualmente estamos na Harmony 3.0, que inclui a habilidade de se auto-lubrificar em uma vagina totalmente funcional. Com esse tanto de evolução, fica até fácil de ver qual é o próximo passo.

Gosta das bonecas realistas e dos robôs sexuais? Tem algo contra? Então chega mais e deixa o seu comentário aqui embaixo. Aproveite também para conferir tudo que o Hora do Homem tem sobre sexo, tecnologia e putaria.

Confira também

Ver mais

Saúde Comentários (0) |

Vício em pornografia: pode fazer mal à saúde?

Precisamos conversar sobre uma coisa, meu amigo! Putaria é ótimo, todo mundo adora ver, mas pode causar alguns problemas. Infelizmente, assim como em diversos outros pontos da vida, o exagero faz muito mal. E é aí que entra do vício em pornografia.

Para entender um pouco melhor o que é esse problema, quais são seus riscos e como combatê-lo é que trouxemos uma série de informações sobre esse mal que pode acabar afetando muitos homens.

O que é o vício em pornografia

O pornô é um prazer popular entre quase todos os caras e boa parte das mulheres também. Ver uma putaria de vez em quando não faz mal a ninguém. Porém o vício em pornô é quando o negócio ultrapassa os limites.

É absolutamente normal ver uma sacanagem num momento íntimo e com uma frequência moderada. Só que se torna um vício a partir do momento em que a vida da pessoa se torna focada na pornografia. Ou seja, a vontade é só de ver putaria e nada além disso.

Quando saber que é um vício?

Não é fácil de diagnosticar, mas perceber o problema é o primeiro passo para resolvê-lo. E a forma mais fácil de entender que se está passando por essa dificuldade é quando o vício em pornografia atrapalha outros fatores da vida, como por exemplo: o trabalho, o estudo, os horários ou os compromissos sociais.

O vício em pornografia no sexo

Além de afetar a vida pessoal, o vício em pornografia também pode piorar a vida sexual de quem é afetado por ele. Os principais afetados são quatro pontos distintos: problemas em manter ereções, diminuição na sensibilidade do pênis, dificuldade em alcançar o orgasmo e/ou tendência de ejacular rápido demais. Ou seja, o viciado em pornô, também pode acabar vendo o desempenho sexual ir por água abaixo.

Como combater

Existe uma formulinha, criada pelo movimento NoFap, que já ajudou milhões de homens a combater o vício em pornografia. O que os criadores do programa sugerem pra desintoxicação é um período de 90 dias de abstinência total.

Durante esse tempo, não vale nem masturbação nem nenhuma outra atividade sexual. A ideia é fazer uma reeducação nos próprios hábitos sexuais. Após o período, é possível voltar a ver pornografia e transar, mas sempre tentando fazer com que a sua rotina não seja focada somente nisso e que esse ponto da sua vida não atrapalhe nenhum outro.

O importante é ter a medida certa

Ninguém está falando aqui para cortar de vez e pra sempre a putaria da própria vida. Longe disso! Na verdade, é importante liberar esse lado sexual quando for possível e dar uma aliviada às vezes. No fim das contas, o mais importante de tudo é ter moderação em todos os pontos da vida, inclusive quando se trata em ver aquele pornozinho.

Gostou de saber sobre o vício em pornografia? Acha que a sua dose de putaria tá na medida certa pra continuar prazerosa? Então continua aí com a gente para saber mais sobre sexo, saúde e estilo de vida aqui no Hora do Homem

Confira também

 

Ver mais

Gosta das MILF? Veja como conquistar uma mulher mais velha

As gostosas experientes estão mais em alta do que nunca. Por isso, conquistar uma mulher mais velha virou o grande tesão de vários caras por aí.

Mas como criar a oportunidade de se arranjar com aquela MILF ou aquela cougar que você já tá de olho? Calma, se você tá nessa situação, a gente te ajuda!

Como seduzir uma mulher mais velha

Um passo a passo show de bola para a danada cair na tua com tranquilidade.

Faça ela te querer

Tá, essa parte não é específica para mulheres mais velhas, mas essencial para gatas de todas as idades. Mas como estamos falando aqui das experientes, o primeiro passo é fazer a MILF te perceber.

Ganhando a atenção dela, é importante demonstrar confiança e interesse de um jeito tranquilo e sedutor.

Deixe a idade de lado no papo

Tudo começa com a troca de ideia. Então descubra interesses em comum que vocês dois tenham. E, o mais importante de tudo, esqueça esse negócio de idade se não quer que ela perca o interesse.

A conversa tem de ser de igual pra igual, então concentre-se e exalte as qualidades. Meter um “você é linda pra sua idade” ou coisa do tipo só vai fazer você parecer um otário e perder totalmente o interesse da gata.

Demonstre independência e/ou potencial

Mulheres mais velhas costumam apreciar homens que não são carentes e dependentes. Ser um fofinho grudento pode funcionar bem para filhotes de pet, mas não para quem está tentando conquistar. Fale o que você gosta de fazer, demonstre que não precisa de ninguém para ser quem é e deixe que ela perceba sua personalidade.

Além disso, se você está no início de uma carreira com potencial, deixe ela descobrir sem se mostrar. Caso ela queira saber mais, a MILF vai perguntar. Mas mesmo que não, subliminarmente saber que você tem potencial é algo que desperta interesse.

Use a sua idade a seu favor

Na hora de conquista, ser mais jovem também tem as suas vantagens. Então é hora de mostrá-las. Você com certeza está carregando menos bagagem emocional e tem pontos muito mais atrativos que outros caras mais velhos. É nisso que deve focar.

Claro, por um lado, ter menos experiência pode significar uma certa falta de instabilidade ou algumas incertezas, mas é melhor deixar essa parte fora dos holofotes.

Chame a gata mais velha para um encontro

Quer se dar bem com uma gata? Então só tem um jeito! Chamando ela pra sair. Com uma mulher mais velha, é claro que não é diferente.

No encontro, seja um gentleman e dê a ela um momento prazeroso. Além disso, é importante mostrar quais são as intenções se rolar a abertura. Não precisa ser rude nem direto demais, mas demonstre que está interessado em ir para cama com ela.

Faça ela te querer de novo

Deu tudo certo e você já teve a chance com a MILF? Então faça ela te querer mais ainda, mas de um jeito casual. Mantenha a compostura e fique tranquilo, mesmo que a diferença de idade seja grande. Levar na boa é o que faz um relacionamento com uma gata experiente mais longe. Quem foca demais na diferença, acaba se dando mal.

Curtiu a dica de relacionamento de hoje? Já ficou a fim de uma mulher mais velha e precisava de um guia desses? Então deixe o seu comentário aqui no artigo.

O Hora do Homem tem isso e muito mais sobre relacionamento, sexo e putaria nos nossos conteúdos diários. Não dá para perder!

Confira também

 

Ver mais

Fetiches Comentários (0) |

Fetiche: tudo o que você precisa saber sobre hentai

Quem já tá na internet há algum tempo, com certeza já se deparou com um hentai por aí. Essa modalidade de putaria é bem popular, diversa e gigantesca, com uma quantidade de obras e de fãs que só aumenta. Visto também como um fetiche, o hentai faz a cabeça de quem adora algo diferenciado.

Então hoje você vai ver tudo o que precisava saber sobre hentai aqui no Hora do Homem. Entenda o básico sobre esse estilo japonês tão gostoso de sacanagem.

O que é hentai

Vamos no básico aqui, o hentai é o famoso desenho animado de putaria japonês. É um anime de sacanagem, no fim das contas, desenhado bem ao estilo japonês mesmo. E como tudo que vem do Japão, tem a sua dose de exótico.

Inclusive, fica a curiosidade: o termo hentai é usado para “atitudes estranhas”. Acabou que esse uso perdeu fama ao longo do tempo e ficou comum apenas para os desenhos de putaria.

Então, se for seguir a palavrinha à risca, tudo bem achar hentai estranho. Mas dá para achar isso e curtir bastante também.

Tanto anime quanto mangá?

Calma, aqui tem ajuda pros perdidos também. Anime é o desenho japonês e mangá é o quadrinho japonês. E, sim, o hentai existe tanto no quadrinho quanto no desenho animado. Afinal, não tem porquê restringir a putaria.

O porquê dos pixels na pepeca e no pinto

Quem já se deparou com algum hentai famoso por aí deve ter percebido que, apesar de rolar todo tipo de putaria, por algum motivo os genitais sempre estão pixelizados. Mas por quê pode tudo menos pênis e buceta no hentai?

Bom, é tudo culpa da censura japonesa. Existe uma lei que proíbe a aparição de genitais em qualquer obra visual por lá. E foi assim que os tentáculos e vários outros tipos de putaria exótica se tornaram populares, como forma de burlar a censura e trazer mais sacanagem.

Quantidade de acessos

Ano após ano, o hentai só se consolida como um dos fetiches mais consumidos na indústria pornô. Para você ter uma ideia, o hentai esteve entre os termos mais buscados do PornHub nos últimos 2 anos, ficando em 1º lugar em 2018. Ou seja, todo mundo curte um hentai. Será que só falta você?

Fetiches na Hora do Homem

Gostou de saber tudo o que precisava nesse manual rápido sobre hentai? Então saiba que aqui no site você confere mais um monte de artigos especiais sobre putaria nos mais diversos estilos. Inclusive, a gente tem uma sessão inteira só pra tratar de fetiches. Então veja mais do que o Hora do Homem tem a te oferecer e não deixe de comentar aqui embaixo.

Confira mais

Ver mais