Na madrugada dessa quarta-feira, 14 de março de 2018 (também comemorada pelo Dia do Pi e aniversário de Albert Einstein), morreu um dos maiores nomes da Física: Stephen Hawking. Conhecido por suas teorias e seu best seller mais famoso, Uma Breve História do Tempo, o físico também teve sua vida privada sob os holofotes da mídia. 

Nascido em Oxford, na Inglaterra, Stephen sempre gostou de mencionar que nasceu exatamente 300 anos após a morte de Galileu Galilei. Desde muito novo, foi apaixonado por Física a ponto de deixar que fosse a responsável por influenciar seu casamento de uma forma negativa.

Em 1963, numa festa de Ano Novo, conheceu a mulher que viria a ser sua primeira esposa, Jane. Dois anos após se conhecerem, Stephen e Jane se casaram, acreditando que o astrofísico teria apenas mais 4 anos de vida devido a sua doença degenerativa, Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), que segundo médicos, o levaria jovem. Durante o primeiro casamento, tiveram três filhos e o que, a princípio, era um casamento feliz e com amor, acabou de forma triste e que machucou ambos.

A vida sexual do astrofísico nunca esteve em manchetes de jornais ou era conhecida do público, entretanto, sua ex-mulher Jane, em entrevista a tabloides estrangeiros, mencionara que as relações sexuais entre os dois foram se deteriorando com o passar dos anos, se tornando uma atividade trágica e humilhante, pondo em dúvida até mesmo a paternidade de Stephen em relação ao seu terceiro filho. Toda a trajetória dos 28 anos que tiveram juntos, foram escritos no livro Viagem ao Infinito, de Jane Hawking, e no filme (baseado no livro) A Teoria de Tudo, de James Marsh.

Com o passar dos anos, o casal foi se separando, enquanto Stephen ficava cada vez mais preocupado com a Física e sua doença, Jane fora se aproximando cada vez mais do amigo Jonathan Jones, que passou a apoiar emocionalmente por conta da situação delicada do casal. Com isso, o casal se divorciou e Hawking casou-se com uma de suas enfermeiras, Elaine Mason, a qual ficou casado até 2006.

Nesse momento, quando já estava completamente dependente de ajuda e preso a sua cadeira de rodas, seu segundo casamento começou a aparecer em noticiários e jornais por denúncias de violência doméstica, onde Elaine teria por vezes agredido física e verbalmente o astrofísico. As enfermeiras que o acompanhavam diariamente, passaram a relatar como Elaine era cruel e agressiva com o marido, que muitas vezes precisou vir a mídia para retirar as acusações.

Entretanto, mesmo com dois casamentos que terminaram de forma triste e sua condição física, isso não impediu que Stephen ainda sim gostasse de divertimento adulto. Por vezes o gênio foi fotografado em clubes de strip tease pela Califórnia, em especial o Devore, sempre muito bem acompanhado de belas mulheres semi e nuas. Em um desses momentos, um fotógrafo relatou ter visto Hawking em uma área mais afastada do clube, deitado em um divã e cercado de duas moças nuas que dançavam sobre ele. Além desses casos, Stephen também já chegou a ser fotografado à beira de piscina em companhia de mulheres. Apesar de tudo, ele ainda deu seu jeito de aproveitar a vida.

Esse é um pouco da história desse que foi um grande físico e talvez uma das pessoas mais emblemáticas desse século. Entre doenças, casamentos, boates de striptease, que fique somente o legado sobre buracos negros e outras contribuições que o cara trouxe para nosso entendimento sobre o universo e também nós mesmos. Que descanse em paz, Stephen William Hawking.

Deixe seu comentário aqui
Gostou? Compartilhe com os seus amigos!Share on Facebook
Facebook
Share on Google+
Google+
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin