A doença do século já não é a peste, nem mesmo a tuberculose, mas sim a depressão e ansiedade advindos de um ritmo de vida e algumas cobranças do mercado que, por muitas vezes, não somos capazes de acompanhar.

Junto dessas doenças, a fluidez das relações humanas também estão muito presentes, amizades deixam de o ser em questões de segundos, juras de amor eterno simplesmente acabam como se nunca tivessem existido…

Tudo isso é reconhecido como amores líquidos, teoria do filósofo Bauman, que aponta a fragilidade dos laços humanos nos últimos tempos, como tudo se torna descartável numa sociedade de produção em massa e relações também em massa.

E, diante do descarte, vem a solidão. Ela pode ser acompanhada de amigos que e familiares que, de alguma forma não o deixam confortável com suas presenças, ou até mesmo a distância dos mesmos.

Agora, para tratar esse sentimento que assola muita gente, a primeira atitude a tomar é fazer as pazes com você mesmo e tentar entender quais sãos os motivos que o levam a se sentir solitário.

Será algo que alguém disse? Será algo que alguém fez? Será algo em você mesmo que o faz se afastar? Quando isso começou? Por que? Como foi? Todas essas respostas, que podem ser difíceis de se encontrar, vão te ajudar a desvendar um pouco mais sobre essa sensação de solidão.

Olhar para dentro e se perguntar quais os motivos que o levaram a isso é importante. A franqueza consigo mesmo é o primeiro passo para sair da solidão.

Uma dica para fazer essa autoanálise é colocá-la no papel. Escreva a resposta de todas essas perguntas e leia depois em voz alta, encare seus problemas e sentimentos olhando-se no espelho, até porque, se você os fala, liberta de dentro do peito, os faz sair de dentro de você.

Repita o processo até se sentir seguro consigo mesmo. Até perdoar tudo que foi escrito e que você vocalizou. Lembre-se, guardar rancor ou até mesmo mágoas não vai te levar pra frente. Uma pedra amarrada a seus pés te faz permanecer no mesmo lugar, assim é o rancor.

Saiba que para não se sentir solitário, você deve aprender a curtir a sua própria companhia e muitas vezes é isso que não acontece. A solidão existe porque não se tem outra pessoa com quem compartilhar momentos que, ao se estar sozinho, parecem insuportáveis.

É por isso que muitas pessoas desenvolvem hábitos compulsivo de compras, uso de drogas ou qualquer vício. Às vezes como companhia, às vezes como uma forma de esquecer-se de si, mas tudo relacionado ao fato de não se curtir em seu momento.

E é nessas horas que fazer algo que você goste é bom e, não, isso não envolve compras compulsivas de objetos que viu na internet. Gosta daquela série? Quer começar um novo livro? E os seus hobbies? Atividades física?

Esses últimos dois ajudam ainda a encontrar companhia com interesses em comum, o que pode ser muito bom para fugir da solidão, mas não se esqueça, o melhor caminho para isso é se livrar do que o prende ali e passar a gostar de sua própria companhia.

Deixe seu comentário aqui
Gostou? Compartilhe com os seus amigos!Share on Facebook
Facebook
Share on Google+
Google+
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin