O Campeonato Brasileiro de Futebol se destaca por ser um dos mais competitivos do mundo. Todos os anos vários times são apontados como favoritos e, vez ou outra, uma zebra acontece. O que muitos têm questionado nos últimos anos é a formula de disputa da principal competição nacional de futebol. Instaurado em 2003, o sistema de pontos corridos divide opiniões, principalmente daqueles que preferem a fórmula antiga da competição: o mata-mata. Será que o formato antigo é melhor em relação ao atual e deveria voltar? Isto é o que vamos analisar.

Competitividade

O primeiro tópico para se discutir qual fórmula é melhor é a diversidade de equipes campeãs. Entre 1971 e 2002, o mata-mata esteve presente em quase todos os anos, com raras exceções, como quadrangulares, mas que foram conquistados por clubes que também venceram no formato de ‘quem perder está fora’. Nas 32 edições neste período, foram 17 equipes diferentes que levantaram o caneco.

Já nos pontos corridos, o número de equipes campeãs é, em média, um pouco menor: em 14 disputas, sete clubes venceram o Campeonato Brasileiro. Há um equilíbrio entre ambas as competições, mas o mata-mata tem um diferencial: equipes com investimentos mais modestos, como Guarani, Sport, Atlético-PR, Coritiba, Bahia venceram no mata-mata, com São Caetano, Bangu, Bragantino e Portuguesa chegando na final. Por outro lado, os pontos corridos tiveram apenas o time Furacão como um vice que foge dos grandes centros do futebol.

Comprometimento

Este é outro assunto que divide a opinião dos torcedores, mas que novamente apresenta argumentos favoráveis ao mata-mata. Neste tipo de disputa, chegar na última rodada da primeira fase possibilita vários times a sonharem com a classificação para as quartas de final (pegando como exemplo o regulamento de 2002) ou ainda melhores posições para jogar em casa as partidas decisivas. Isso sem contar na briga pelo rebaixamento e por classificação a Sul-Americana (que, para quem tem pouco investimento, significa mais dinheiro em caixa).

Os pontos corridos têm uma das suas maiores críticas em relação a ‘emoção’ que falta na reta final, principalmente para campeões com algumas rodadas de antecedência – como os dois últimos, Corinthians em 2015 e Palmeiras em 2016. As vagas para rebaixamento e classificação para a Libertadores muitas vezes também estão quase todas definidas, fazendo com que as duas últimas rodadas estejam repletas de ‘amistosos’.

Calendário

No mata-mata há mais datas, tempo de preparação e até de planejamento para quem sai antes na competição. Contudo, a organização das equipes é mais evidente nos pontos corridos, visto que é necessário de um elenco e projeto para ser campeão ou chegar a principal competição continental. Em ambos os casos, o problema continua sendo a forma como a CBF vem conduzindo o calendário brasileiro e, com as recentes mudanças da Comenbol, é difícil definir qual seria melhor nessa situação.

A melhor proposta

Apresentando os principais argumentos para a disputa das duas fórmulas, o que torcedores do mata-mata e pontos corridos concordam em grande parte é que há a possibilidade de fazer um sistema misto. Ou seja: uma disputa de pontos corridos, com os campeões do turno, ou campeão e vice de cada turno, fazendo uma semifinal. A fórmula deveria ser delimitada, mas daria mais emoção ao campeonato que falta aos pontos corridos e a organização que fica devendo no mata-mata.

E você, prefere qual? Mata-mata ou pontos corridos? Conta pra gente nos comentários!

Deixe seu comentário aqui
Gostou? Compartilhe com os seus amigos!Share on Facebook
Facebook
Share on Google+
Google+
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin